A prisão de Lula: O que está em jogo é a legitimidade e a estabilidade da região

A condenação e prisão politicamente motivadas de Luís Inácio Lula da Silva faz parte de uma ofensiva contra o povo Brasileiro e ao seu direito à autodeterminação democrática. Lula é o candidato mais popular – se as eleições tivessem lugar hoje, seria o próximo Presidente. O conjunto de candidatos corruptos, que se encontram atualmente no poder, tem medo da popularidade de Lula. A sentença coloca questões sérias relativamente à independência dos juízes, assim como a integridade do sistema de justiça do Brasil.

O que está agora em jogo é a legitimidade e estabilidade da região. Uma eleição sem Lula irá prejudicar a legitimidade da democracia brasileira e promover o descontentamento, num país que já possui uma falta de capacidade para garantir a segurança dos seus líderes socialmente mais proeminentes, como o brutal assassinato de Marielle Franco mostrou ao mundo.

Não é possível derrotar uma política através da perseguição de um único líder. Desejamos coragem a todos os que, neste momento, lutam para representarem as verdadeiras necessidades e desejos do povo Brasileiro. A perseguição contra Lula tem de acabar e devem ser devolvidos os seus direitos, enquanto candidato presidencial, bem como levar a cabo uma investigação séria acerca das motivações políticas da sua prisão, de modo a restaurar a ordem democrática do Brasil.

Renata Ávila é membro do Coletivo Coordenador do DiEM25. Podes segui-la no Twitter.

 

 

Do you want to be informed of DiEM25's actions? Sign up here.