O Progresso tecnológico não deve servir o capitalismo

Andrew Ng, um perito em inteligência artificial, apresentou um conjunto de propostas interessantes numa conferência recente nos Estados Unidos. Este especialista sabe como o progresso tecnológico e a automatização têm o potencial para destruir muitos empregos. No entanto ele mostrou-se contra o Dividendo Básico Universal, que é um expansão do Rendimento Básico Incondicional, que permitiria às pessoas beneficiarem dos lucros das empresas que financiaram através dos seus impostos. Este objetivo pode ser antingido por via de um Fundo Universal básico Educativo, como Ng sugere, mas debater estas propostas é algo que todos devíamos fazer.
Qualquer que seja o modelo, devemos certificar-nos que o único beneficiário não é o capitalismo: As pessoas deverão poder usufruir de uma educação na área  que queiram seguir e não aquilo que o capital diz que é o mais lucrativo. O dinheiro deve ser usado para eliminar as desigualdades sociais em vez de as tornar pior. Isto é o que deve suceder numa sociedade evoluída.
Os avanços tecnológicos devem beneficiar a vida das pessoas, não apenas o capitalismo, como expõe o nosso New Deal. Junta-te a nós e vamos torná-lo realidade!
Aris é membro e voluntário do DIEM25

Do you want to be informed of DiEM25's actions? Sign up here