Christine Lagarde

Como aumentar a desintegração da UE? Admitir que se salva os bancos

Christine Lagarde, Diretora do Fundo Monetário Internacional, faz algumas manchetes interessantes. Numa entrevista recente, falou sobre as consequências resultantes dos altos excedentes na Alemanha. Isto não soou nada bem a algumas pessoas, para não dizer pior, e elas responderam. Jornalistas gostam de grandes e pomposos títulos e Lagarde a criticar a Alemanha é um tema quente. Contudo, Lagarde também falou sobre outras coisas e os meios de comunicação gregos detetaram algo muito interessante: Lagarde admitiu que alguns países foram salvos de forma a salvar os bancos. Até Jeroen Dijsselbloem confirmou isto recentemente.
A questão que isto coloca é que alavanca é que temos se os representantes oficiais agora admitem fazer dos bancos uma prioridade muito maior do que as pessoas da Europa? Como é que os gregos, espanhóis ou portugueses se vão sentir quando souberem que não foram apenas enganados mas também os seus salários e pensões severamente cortados, em prol dos bancos? Obviamente, o euroceticismo e a raiva crescem juntamente com os níveis de desconfiança em relação às instituições da UE. Em suma: os pensamentos viram-se para X-exits (x= gr, br, it etc.)
No DiEM25, esperamos que as pessoas respondam de formas progressistas. Nós vamos lutar por uma UE que faz de valores humanos, e não bancos, a sua prioridade. Nós precisamos da vossa ajuda e ideias coletivas para conduzir a Europa para fora desta catástrofe. Junta-te a nós.
 
 
Aris é membro e voluntário do movimento DiEM25.

 
Foto: Zbigniew Bzdak/Chicago Tribune.
 

Do you want to be informed of DiEM25's actions? Sign up here